PERANTE OS PROBLEMAS PATERNAIS

Perante os Problemas Paternais2fa66f324dddb476e817513118ef9a4c_XL-1280x640

 

 

Bezerra de Menezes

 

 I

Abençoemos as dificuldades e, igualmente, lembremo-nos das bênçãos que o nosso grupo doméstico vem recebendo do amparo do Senhor.

II

Os filhos são originariamente de Deus e em nossa condição de zeladores deles, façamos quanto se nos faça possível para auxiliá-los, no limite de nossos recursos.

Os deveres bem cumpridos do coração paternal sempre nos farão tranquilos

perante Jesus.

III

Os corações paternos ajustados à “lei do Bem” devem guardar a tranquilidade que sempre lhes iluminam a vida, a fim de agirem com acerto. Continuar lendo

Anúncios

PERANTE  OS PROBLEMAS MATERNAIS

Perante os Problemas Maternais d3ec28c10454da6032ce3e3e9fe5a287.jpg

 

 

 

Bezerra de Menezes

 

I

 

As nossas irmãs que se fizerem mães, juntamente com os seus filhinhos,

atrairão sempre a assistência do Alto, na caminhada redentora.

II

Quanto às nossas tarefas de mãe, prossigamos confiando na Infinita Bondade de Jesus, que nunca nos abandona.

Conservemos a firmeza de atitudes, revestindo o nosso carinho maternal de Amor Puro e guardando a certeza de que Jesus nos sustentará.

III

Sustentemos a calma por clima constante no coração.

O ministério de mãe- redentora tarefa de alegrias e angústias – prosseguirá amparado por muitos Amigos da Esfera Superior.

Marchemos ao encontro da vontade de Jesus e Jesus virá ao encontro da nossa.

IV

Sob os testemunhos do amor materno, não faltará o socorro do Senhor. Continuar lendo

Cartas Aos Médiuns

Carta Aos Médiuns passe01comespirito.jpg

 

 

 

Casimiro Cunha

 

Irmão, se a mediunidade

Faz parte de tua ação,

Procura nos Evangelhos

A senda de redenção.

Sei que choras, sei que lutas,

Sei que padeces, porém,

Teu serviço na Verdade

É o santo esforço do Bem.

Faculdades numerosas

Não representam a luz.

Bom médium é todo aquele

Que anda sempre com Jesus.

Humildade, tolerância,

Amor e compreensão

Devem ser toda a ciência

De tua demonstração.

Foge sempre do elogio

De espíritos displicentes.

Do quadro de teus amigos

Prefere os mais exigentes. Continuar lendo

Morte e Zonas Purgatoriais

Morte e Zonas Purgatoriaispurgatório.jpg

 

André Luiz

 

A ciência humana, através de teorias próprias, já tange a realidade íntima da matéria, que se lhe revela em dimensões mais apropriadas, a sugerirem aos encarnados seu papel intermediário e sem potência própria, fadada sempre a expressar a realidade espiritual dos seres que dela se valem por contraponto na trajetória sublime de sua evolução para a perfectibilidade do Amor.

A morte, por isso mesmo, nos desafios assombrosos que impõe a qualquer inteligência, por mais destacada e brilhante, guarda o papel imprescindível de revisora e fixadora, para as individualidades psíquicas, em qualquer nível de progresso e manifestação, de suas prerrogativas já amealhadas pelas experiências palmilhadas ou a serem colhidas pela ampulheta do tempo. Continuar lendo

A Grande Esperança

A Grande Esperançaa-grandeza-de-deus-diante-dos-nossos-problemas-201601150900196987530-5959ad4189c3d

Martins Peralva

 

Nenhuma das ovelhas que o Pai me confiou se perderá.

 

As gerações atuais percebem que os grandes problemas da fraternidade humana continuam praticamente insolúveis, apesar do esforço e do trabalho dos homens de boa vontade.

O homem de hoje quer ver para observar. Observar — para deduzir.

Deduzir — para conhecer. Conhecer — para aceitar. Aceitar — para sentir.

Sentir, afinal — para ser feliz…

A sua análise, a sua observação e o seu conhecimento resultaram, inevitavelmente, na falência de tudo quanto o critério científico recusou.

No sepultamento, pelo próprio homem, que permanecera séculos sem conta embalado no sonho e na fantasia, de tudo quanto a lógica e o bom-senso repeliram.

No desapreço por tudo que lhe não traga uma esperança definida, um sossego concreto, uma paz indestrutível.

A falência, o sepultamento e o desapreço por essas religiões e filosofias alicerçadas em fórmulas perecíveis, que atestam a mutação e fragilidade dos valores simplesmente humanos, vieram, apenas, impregnar no espírito das gerações hodiernas a suspeita de que tudo estaria irremediavelmente perdido.

A Humanidade, por conseguinte, tem o direito de pedir alguma coisa em favor de sua felicidade.

De exigir aquilo que lhe tem sido negado ou proporcionado de modo incompleto, restrito, dúbio: o Bendito Refúgio da Paz Interior!

O suave Ancoradouro da Fé!

A Humanidade precisa de um novo roteiro, onde possam as criaturas de Deus palmilhar, indissoluvelmente unidas, num amplexo de confiança e ternura, os caminhos do aperfeiçoamento.

O Espiritismo, como revivescência do Cristianismo, veio dizer à Humanidade que Nosso Senhor Jesus-Cristo, ante o futuro, ora e trabalha.

O Mestre está no leme!

Quando mais procelosas forem as ondas, quando mais intenso for o desequilíbrio — um clangorar sublime de trombetas convocará o Grande Exército da Luz para o triunfal, definitivo combate contra as trevas.

Cristo é a Grande Esperança! Continuar lendo

Enquanto Podes – psicografia de Chico Xavier

VIGIAR PARA QUÊ?

Vigiar Para Quê?jesc3bas-en-soledad

 

André Luiz

 

 

Vigiar na expressão correta será, decerto, espreitar, observar, permanecer atento, mas na palavra do Cristo e, sobretudo, no conceito espírita cristão, o termo ganha em extensão e profundidade.

 

Vigiar e vigiar, mas para quê? Continuar lendo