Arquivo da categoria: Uncategorized

OS CEGOS DE ESPÍRITO

cegueira-espiritualÉ preciso que se tenha conquistado uma caridade quase ilimitada, para suportar com tranqüilidade o ataque desleal, injusto e sistemático que contra o Espiritismo movem os sacerdotes de Roma e do Protestantismo. E preciso que se tenha pleno conhecimento dos preceitos cristãos que nos aproximam de Jesus: caridade para com aqueles que nos caluniam e injuriam; é preciso que se conheçam os mandamentos: “Ama aos teus inimigos; faze o bem aos que te odeiam; bendize aos que te maldizem; ora pelos que te perseguem. e caluniam, para que sejas filho do nosso Pai que está nos Céus que faz levantar o seu Sol sobre os bons e maus e faz descer as suas chuvas sobre os justos e os injustos”. Continuar lendo

Anúncios

A CORAGEM

féNos tempos atuais, ninguém necessita mais dar a vida nos circos da maldade para contribuir para a melhoria do mundo e da humanidade. A coragem que se exige é a de vencer suas próprias más tendências, como preconizava Allan Kardec para caracterizar os verdadeiros espíritas. Devemos ter coragem de olhar para dentro de nós mesmos e enfrentar nossas mazelas morais, vencer a preguiça, a má-vontade, o desamor, a frieza moral, a indiferença pelos sofrimentos alheios, o desejo de projeção inútil, a alegria com as desgraças alheias, o orgulho e o egoísmo e todas as falhas morais que ainda trazemos e costumamos querer disfarçar de nós próprios. Essa a coragem que devemos desenvolver em grau cada vez mais elevado, para evoluirmos intelecto-moralmente. Sem ela viveremos na estagnação, correndo de um lado para outro atrás de distrações que nos levarão ao Continuar lendo

Mediunidade Mental

revue-spirit-allan-kardecUm dos nossos correspondentes escreve de Milianah, Argélia:

“… A propósito do desprendimento do Espírito, que se opera em todos durante o sono, meu guia espiritual exercita-me em vigília. Enquanto o corpo está entorpecido, o Espírito se transporta para longe, visita as pessoas e os lugares de que gosta e a seguir volta sem esforço. O que me parece mais surpreendente é que, enquanto estou como que em catalepsia, tenho consciência desse desprendimento. Exercito-me também no recolhimento, o que me proporciona a agradável visita de Espíritos simpáticos, encarnados e desencarnados. Este último estudo só ocorre durante a noite, pelas duas ou três horas, e quando o corpo, repousado, desperta. Fico alguns instantes à espera, como depois de uma evocação. Então sinto a presença do Espírito por uma impressão física, e logo surge em meu pensamento uma imagem que me faz reconhecê-lo. Estabelece-se a conversa mental, como na comunicação intuitiva, e esse gênero de conversa tem algo de adoravelmente íntimo. Muitas vezes meu irmão e minha irmã, encarnados, me visitam, às vezes acompanhados por meu pai e minha mãe, do mundo dos Espíritos.

“Há bem poucos dias recebi vossa visita, caro mestre, e pela suavidade do fluido que me penetrava, eu julgava que fosse um dos nossos bons protetores celestes; imaginai a minha alegria ao reconhecer, em meu pensamento, ou melhor, no meu cérebro, como que o próprio timbre de vossa voz. Lamennais nos deu uma comunicação a esse respeito e deve encorajar os meus esforços. Eu não poderia dizer-vos do encanto que dá esse gênero de mediunidade. Se tiverdes junto de vós alguns médiuns intuitivos, habituados ao recolhimento e Continuar lendo

  O ANJO CONSERTADOR

 

 

flores-paz

Quando o crente enfermo conseguiu encontrar, após longas súplicas, o Anjo Consertador, prosternou-se, reverente, e falou, banhado em lágrimas:

 

  • Benfeitor Celeste, socorre-me, por piedade! Trago o estigma do fracasso. Sou profundamente infeliz!… Contra mim permanecem associadas todas as forças do mal. Nas menores particularidades do caminho sou perseguido sem remissão… Meus negócios falham, meus interesses sofrem prejuízos infindáveis, minha saúde perece… Vivo coberto de preocupações e sofrimentos. Embalde, busco o auxílio da prece, porque, depois de freqüentar templos diversos e tentar devoções diferentes, me vejo tão aflito quanto antes. Restaura-me o destino! Is o benemérito consertador das vidas frustradas. Atende-me! sinto-me desfalecer…

 

Deteve-se o emissário angélico e auscultou delicadamente o desventurado. Mirou-o, compadecido, e considerou :

 

  • Realmente, o seu desequilíbrio comove.

 

Fixou nele o olhar muito límpido e iniciou carinhoso interrogatório: Continuar lendo

Compreendendo – psicografia de Chico Xavie

AS VÍTIMAS DO PRÓPRIO ORGULHO

Ensaio-sobre-o-homem-e-a-natureza-do-orgulho-1-830x450O orgulho nos faz pensar que somos superiores às demais pessoas e nos leva a desprezá-las. Na verdade, sendo realmente mais qualificados moral ou intelectualmente que alguns irmãos e irmãs em humanidade, a humildade, virtude oposta ao orgulho, nos induz a tratá-las com a consideração recomendada pela Lei do Amor Universal. Se se justificasse o  contrário, Jesus, Espírito superior a qualquer outro que passou pela Terra, teria motivos de sobra para menoscabar a todos nós, sendo que fez exatamente o contrário, pois foi e é o mais humilde de todos, pois ensinou que: “O maior é justamente o que mais e melhor Ama a todos.”

Não se justifica, de forma alguma o orgulho, que representa uma das formas de primitivismo moral e, para dizer a verdade, igualmente intelectual, pois o conhecimento das Leis Divinas em profundidade induz às virtudes e à superação dos defeitos morais.

A pessoa orgulhosa cria dificuldades para si e Continuar lendo

A LUTA CONTRA O MAL

 

banner-posts-evangelho-do-reino-1080x675De todas as ocorrências da tarefa apostólica, os encontros do Mestre com os endemoninhados constituíam os fatos que mais impressionavam os discípulos. A palavra “diabo” era então compreendida na sua justa acepção. Segundo o sentido exato da expressão, era ele o adversário do bem, simbolizando o termo, dessa forma, todos os maus sentimentos que dificultavam o acesso das almas à aceitação da Boa Nova e todos os homens de vida perversa, que contrariavam os propósitos da existência pura, que deveriam caracterizar as atividades dos adeptos do Evangelho.

Dentre os companheiros do Messias, Tadeu era o que mais se deixava impressionar por aquelas cenas dolorosas. Aguçavam-lhe, sobremaneira, a curiosidade de homem os gritos desesperados dos espíritos malfazejos, que se afastavam de suas vitimas sob a amorosa determinação do Mestre Divino.

Quando os pobres obsidiados deixavam escapar um suspiro de alívio, Tadeu volvia os Continuar lendo