Arte Celestial – Ditado mediúnico

O que falar da Arte Celestial?

Quero pintar um quadro onde a luz seja retratada com a intensidade emanada pelo Divino Artista da Vida.

Quero pintar o amor que exala dos corações humanizados que, ao manifestarem a caridade, trazem no sorriso as cores da alegria e os tons da magnífica mansuetude.  

Tenho, em minhas mãos, dedos sujos de tintas, de cores que se mesclam relembrando as várias facetas de um simples aprendiz.

Quero retratar nos olhos da face pintada, a serenidade de uma mente que olha para a imensidão e sonha em com o seu esplendor!

O que seria de nós, pintores de almas, aprendizes da arte, obreiros do bem, se não fossem os pincéis como âncoras de trabalho, e a persistência em transmitir em cada toque, em cada pincelada, a mais pura Misericórdia Celestial! Que concessão, para revelar o amor que o Cristo nos ensinou!

A arte celeste é retratada com a pureza de crianças, no suor do trabalho, na reparação das faltas, no evoluir para a consciência cristã. Arte divina é ter fio que liga as experiências, com firmeza e tenacidade, capaz de desenovelar histórias e aprender o valor da nova leitura para vencer a enfermidade; amparar nas necessidades; curar feridas.

E por fim, aprender a rabiscar quadros abstratos, decifrando na geometria o enigma sagrado na matemática dos sentimentos, e na emoção dos afazeres à obra prima do amor.

Do clássico ao barroco, da antiguidade aos novos tempos, a arte e seus caminhos a serem decifrados e talhados por cada artista! Somos todos chamados para a vivência a ser pintada de várias formas, definida pela sensibilidade e por suas escolhas.

Estamos no ateliê da vida, diante das dádivas do Alto. Transformemos os sonhos em realidade. Façamos do convite, perene entrega. Laboremos com o material para o justo acerto interior.

Busquemos, em cada artista, notas de incentivo; no entanto saibamos que não devemos copiar, ao contrário, devemos permitir que a chama da arte de viver e amar renasça e permaneça acesa para sempre.

Através das cores, vejo os matizes necessários; através dos pincéis, vejo o limite. Através das telas, vejo a real necessidade de continuar.

Que a luz do nosso Pintor Celestial nos envolva através da aquarela iluminada, com as mais belas nuances de amor e fraternidade!

Do servidor menor,

Toulouse Lautrec

Mensagem psicografada em Reunião de Intercâmbio e Enfermagem Espiritual – em 26/03/2018, na Sede da FEEAK Minas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s