Espiritismo no Brasil – História

ENESDE – ESPIRITISMO NO BRASIL

1. Introdução – Contexto do Século das Luzes
-Ciência levaria ao progresso infinito, à felicidade. Rev. Industrial. Bélle Époque. Decepção com a I Guerra Mundial 

“Em meados do Século XIX estabeleceu-se a crença de que a conversão às idéias modernas excluía a possibilidade de aceitação do sobrenatural em suas múltiplas formas. Havia uma intensa busca das leis da natureza e das sociedades, a partir da herança recebida dos séculos anteriores, quando o dogma racional da imutabilidade das leis naturais esvaziara a fé no sobrenatural”. (P. 9).
• Evolução das Espécies – Darwin
• Comte – Positivismo
• Materialismo Histórico – Socialismo Científico – Marx
• Ciência e Materialismo – crença no desenvolvimento moral, intelectual e técnico ilimitado da Humanidade.
• Ciência único caminho para o conhecimento.
• Progresso – “ Na área da História, a crença de que os eventos sucedem-se no tempo no sentido mais desejável e em crescente perfeição, pode ser encontrada na obra de Francis Bacon. Dentre os iluministas, Voltaire foi um entusiasta da idéia de progresso, e exerceu grande influência em seus contemporâneos e nas gerações seguintes. Condorcet foi um continuador das idéias e princípios de Voltaire, assim como Turgot. Diderot apontou uma evolução religiosa – da lei natural para a lei mosaica e, daí, para a lei cristão. “((P.19)
• “Em meados do Século XIX, de modo geral, se firmara a crença na necessidade de um plano progressivo da história desvinculado da idéia de um plano divino. Aqui, como em outros ramos do conhecimento, o confronto entre ciência e religião acirrara-se, levando ao que se denominou de “cientismo”: o materialismo pretendeu ultrapassar o âmbito de suas teses dotadas de variáveis possibilidades de comprovação; pretendeu ser uma doutrina de vida que contrapunha a Ciência à Religião. Deus fora eliminado enquanto princípio metafísicos de explicação, sendo substituído pela Ciência enquanto forma de conhecimento que comporta uma garantia da própria validade”(p.21).

2. Reações religiosas –
• Catolicismo conservador – condenação ao liberalismo; reafirmação da crença na infalibilidade papal.
• Reflorescimento de antigas crenças e práticas que iam da cabala à magia negra, passando pela astrologia e quiromancia. Era o contraponto das ciências ocultas e místicas ao estabelecimento da grande deusa ciência.,(.p.,23)
• (gnósticos e galicanos), sociedades maçônicas e de grupos de estudos e práticas ocultistas.
• EUA – fenômenos mediúnicos e grupos religiosos:
• 1850 – Mórmons
• 1848 – Moderno Espiritualismo – irmãs Fox
• últimas décadas do Século XIX – Sociedade da Torre da Vigilância do Sião – Testemunhas de Jeová; Teosofia Cel Olcott e Mme Blavatisk; Adventismo; Ciência Cristã.
3. Moderno Espiritualismo – fenômenos Irmãs Fox –
Mesas girantes e falantes – Europa – EUA – entretenimento.
Explicações:
-influência dos espíritos
-decorrência da ação do fluido magnético descoberto por Mesmer
Intervenção do Santo Ofício – 1856 – conseqüência do hipnotismo e magnetismo, negando a influência de demônios ou de espíritos, mas acusando de heresia as pessoas envolvidas.

4. Kardec
“Pois foi em tal contexto ideológico que um professor polivalente, radicado em Paris e autor de vários textos pedagógicos, codificou uma doutrina filosófico-religiosa, que procurava adequar às últimas descobertas no campo da ciência positiva de meados do século passado.” (P. 10)
-legitimação científica. – conciliação ciência e religião.
“A ciência e o materialismo se achavam fortemente entrelaçados, e qualquer tentativa de legitimar uma crença religiosa esbarrava nos estreitos limites da ciência positiva. Pois foi em tal contexto ideológico que Kardec desenvolveu sua doutrina filosófico-religiosa, “científica” para ele e seus seguidores, já que os fenômenos metafísico eram considerados passíveis de observação e experimentação.
O Pensamento de Kardec partia de uma reflexão sobre a sociedade de seu tempo, na qual tentava desvincular a ciência do materialismo, afirmando o caráter científico da apreensão do mundo espiritual, que contrapunha às crenças religiosas e hipotéticas”. P. 29 – mundo espiritual – prolongamento da vida material.
-O Livro dos Espíritos – 1857
-O Livro dos Médiuns – 1861
-O Evangelho Segundo o Espiritismo – 1864
-A Gênese – 1868
-O Céu e o Inferno – 1865

5. Espiritismo no Brasil – contexto
Vídeo “Nasce a República” 17 minutos
Mostra – início da República, café, proclamação da República, modernização das cidades, panorama artes, problemas.  
Relacionar o filme ao tema – comentários

6. Início do Espiritismo no Brasil 
-Século XIX – vinda da Corte Portuguesa para o Brasil – emancipação política –
-Inglaterra- consumidor de matérias-primas e fornecedor de manufaturados
-França – centro cultural
-Catolicismo – religião oficial até República (Padroado) – comunicação com os espíritos não era fato novo – cultos orixás – existência séc. XIX de advinhos e curandeiros, requisitados por pessoas dos vários segmentos da sociedade.
-1853 – mesas girantes no Brasil
-Grupo de franceses que residiam no Rio, interessados nas idéias socialistas utópicas (Saint-Simon, Fourier), interessados também na Doutrina Espirita. – Imigrantes de prestígio econômico, social e cultural – professores, jornalistas e comerciantes. (.P.65)
– Bahia – Grupo Familiar de Espiritismo – 17/09/1865 – Teles de Menezes.
-Envolvimento com a campanha abolicionista – Bezerra de Menezes ( A escravidão no Brasil e medidas que convém tomar para extingui-la sem danos para a nação/1869), Major Francisco Raimundo Ewerton Quadros (- comandante da Escola Militar RJ e presidente do Clube Militar primeiro presidente da FEB)
-Idéias Republicanas – Antônio Silva Neto (Estudos sobre a emancipação de escravos no Brasil/1866), Manifesto de 1870, junto com Francisco de Bittencourt Sampaio e Otaviano Hudson.
-Quintino Bocaiúva – livre pensador, maçom, republicano. Redator Chefe de O Paíz – colunas de Max / Bezerra de Menezes
-médiuns receitistas – atendimento homeopático – criminalização de médiuns receitistas

7. Livros
-Desde 1857 obras já conhecidas, em francês
-1860, primeiro livro espírita impresso no país – Les Temps Sont Arrivés, de Casimir Leitaud – impresso em francês
-1862 – primeira versão para o português – Le Spiritisme à Sa Simple Expression – tradução de Alexandre Canu
-1866 – primeiras publicações de livros espíritas em português – Bahia e São Paulo

8. Ciência, Filosofia e Religião.
Não falar sobre trajetória de fundação de Grupos Espíritas no Rio e Criação da FEB
Destacar divisão existente no Movimento Espírita Brasileiro, delineadas no Grupo Confúcio – 1873
Científicos – privilegiava a parte experimental, a dos fenômenos físicos
Puros – só aceitavam a ciência e a doutrina filosófica reveladas mas não seu desdobramento religioso
Místicos – orientação evangélica, considerava toda a obra de Kardec – fundamental a leitura de O Evangelho Segundo o Espiritismo.
1895 – Bezerra de Menezes – Unificação entre os vários grupos

9. Divulgação do Espiritismo
“O fato incontestável é que , tanto no Rio de Janeiro quanto no restante do país, popularizou-se o Espiritismo cristão com o seu corolário: a prática da caridade através do atendimento aos necessitados.” página. 143.

10. Conclusão
Entender as divergência como parte do momento histórico vivido. Estes momentos influem no movimento hoje. Construímos o Movimento Espírita do nosso tempo e influenciaremos o amanhã.

“Amigos! Temos que nos unir, nos fraternizar, porque esta é a base do Movimento Espírita. Estou simplesmente repetindo o benfeitor Bezerra de Menezes quando disse que sem união não há unificação, já que a Unificação é  resultante da união. Precisamos cultivar a união fraterna, não importando que o companheiro, intimamente, pense um pouco diferente sobre questões secundárias, e desde que não sejam afetados os princípios fundamentais da Doutrina.”- Juvanir Borges de Souza – Falando ao Movimento Espírita – CFN – publicado no Reformador de fev//97

Anúncios

2 Respostas para “Espiritismo no Brasil – História

  1. Síntese maravilhosa,importantíssima para todos nós.Obrigadão!!
    Gostaria de mais alguns esclarecimentos…
    Quanto as Mocidades Espíritas,… por que alguns trabalhadores apresentam a tese de que a Federação Espírita foi contra a criação do grupo das Mocidades Espíritas,sendo necessário a energia e intervenção de Leopoldo Machado para que as Mocidades se mantivessem…???

  2. Maravilhoso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s