Família – considerações doutrinárias

 

ENCARNAÇÃO

            Livro dos Espíritos. Objetivo da encarnação – questão 132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos? – Resposta – Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar a perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisto é que consiste a expiação. A encarnação tem ainda outra finalidade: a de por o Espírito em condições de cumprir sua parte na obra da Criação.

            LEI DE SOCIEDADE 6 – DAS LEIS MORAIS LE

            766. A vida social está na Natureza? resposta-  Certamente. Deus fez o homem para viver em sociedade. Não lhe deu inutilmente a palavra e todas as outras faculdades a vida de relação.

            768. Resposta:  O homem deve progredir. Sozinho, isto não lhe é possível, por não dispor de todas as faculdades; precisa do contato com os outros homens. No isolamento ele se embrutece e definha.

            770. Fugir para o isolamento é egoísmo.  774. Resposta. Os laços sociais são necessários ao progresso e os de família tornam mais apertados os laços sociais: eis por que os laços de família são uma lei da Natureza. Quis Deus, dessa forma, que os homens aprendessem a amar-se como irmãos. 

             FAMÍLIA

            Emmanuel – Pensamento e Vida. Lição 12.

            A família consangüínea, entre os homens, pode ser apreciada como o centro essencial de nossos reflexos. Reflexos agradáveis ou desagradáveis que o pretérito nos devolve. (…)

            Cada criatura está provisoriamente ajustada ao raio de ação que é capaz de desenvolver ou, mais claramente, cada um de nós apenas, pouco a pouco, ultrapassará o horizonte a que já estenda os reflexos que lhe digam respeito. (…)

            É assim que na esfera do grupo consangüíneo o Espírito reencarnado segue ao encontro dos laços que entreteceu para si próprio, na linha mental em que se lhe caracterizam as tendências.

            A chamada hereditariedade psicológica é por isso, de algum modo, a natural aglutinação dos espíritos que se afinam nas mesmas atividades e inclinações. (…)

            Todavia, na senda habitual, o templo doméstico reúne aqueles que se retratam uns nos outros. (…)

            Temos assim, no grupo doméstico, os laços de elevação e alegria que já conseguimos tecer, por intermédio do amor louvavelmente vivido, mas também as algemas de constrangimento e aversão, nas quais recolhemos, de volta, os clichês inquietantes que nós mesmos plasmamos na memória do destino e que necessitamos desfazer, à custa de trabalho e sacrifício, paciência e humildade, recursos novos com que faremos nova produção de reflexos espirituais, suscetíveis de anular os efeitos de nossa conduta anterior, conturbada e infeliz.

           

KARDEC FAMILIA – Evangelho S Espiritismo cap. XIV – item 8.

            Há, pois, duas espécies de famílias: as famílias pelos laços espirituais e as famílias pelos laços corporais. Duráveis, as primeiras se fortalecem pela purificação e se perpetuam no mundo dos Espíritos, através das várias migrações da alma; as segundas, frágeis como a matéria, se extinguem com o tempo e, muitas vezes, se dissolvem moralmente, já na existência atual.

           

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s