ESTUDO: COMUNICAÇÕES MEDIÚNICAS ENTRE VIVOS

A NATUREZA DA COMUNICAÇÃO: quando a vontade de um vivo é que se apresenta, a comunicação só pode ocorrer através dos mesmos processos espirituais exercidos por um morto: faculdades subconscientes e supranormais para um vivo (encarnado), conscientes e normais para um morto (desencarnado). 
Resulta daí que as duas classes de manifestações são idênticas por natureza, com a distinção puramente formal de que, quando se verificam por obra de um “vivo”, tomam o nome de fenômeno anímico e, quando por obra de um “morto”, denomina-se fenômeno espírita. É claro, pois, que as duas classes de manifestações são uma o complemento necessário da outra, e isso de tal sorte que o Espiritismo ficaria sem base se não existisse o Animismo (1).
A MANIFESTAÇÃO ANÍMICA SOB FORMA MEDIÚNICA: quando nos reportamos a uma comunicação mediúnica e dizemos que ela é anímica, isso significa que a mensagem recebida é fruto do próprio Espírito do médium e não de um Espírito estranho. Assim, as manifestações anímicas de ordem inteligente raramente se verificam sob forma mediúnica, pois, via de regra,
exercitam-se em forma direta e, segundo os casos, tomam o nome de
manifestações telepáticas, de fenômenos de bilocação, de clarividência no
passado, no presente e no futuro (1).
DA EVOCAÇÃO DAS PESSOAS VIVAS: o Espírito de uma pessoa viva pode ser evocado, como também apresentar-se espontaneamente nos seus momentos de liberdade, geralmente quando dorme ou dormita. Pode-se evocá-lo, também, no estado de vigília, mas a experiência prova que a evocação nesse estado pode provocar o sono. A evocação pode apresentar alguns inconvenientes, caso refira-se às crianças em tenra idade e às pessoas gravemente enfermas. Numa palavra, ela pode apresentar inconvenientes, todas as vezes que o corpo estiver muito fraco (2).
CATEGORIAS ANALISADAS EXPERIMENTALMENTE POR BOZZANO:
Bozzano divide a sua pesquisa em duas categorias:

1 – MENSAGENS EXPERIMENTAIS NO MESMO APOSENTO
2 – MENSAGENS MEDIÚNICAS ENTRE VIVOS À DISTÂNCIA.
Com isso pôde abarcar as várias possibilidades de comunicação, ou seja,
quando as pessoas estavam imersas no sono, quando em estado de vigília,
quando o comunicante é um moribundo. Experimenta, também, a hipótese de as mensagens mediúnicas entre vivos serem transmitidas com o auxilio de uma entidade espiritual (1).

CONCLUSÕES DAS EXPERIÊNCIAS: por esse estudo, diz Bozzano, chega-se à certeza científica sobre o fato da possibilidade do “eu integral
subconsciente” ou, em outros termos, para o Espírito humano, de entrar em relação com outros Espíritos de vivos, seja mediúnica seja telepaticamente, ora separando-se temporariamente de seu próprio corpo somático (bilocação),ora comunicando-se ou conversando telepaticamente à distância, depois de ser estabelecida a “relação psíquica”. Além disso, uma vez provada cientificamente a comunicação entre vivos desembaraça-se do obstáculo teórico em relação à possibilidade da comunicação mediúnica com os mortos (1).
PERGUNTAS:
1 – O que diferencia a comunicação anímica da mediúnica?
2 – Pode-se evocar o Espírito de uma pessoa viva? Como?
3 – Quais são os inconvenientes na evocação de uma pessoa viva?
4 – Quais são as hipóteses e conclusões de Bozzano no seu livro
Comunicações Mediúnicas entre Vivos?
BIBLIOGRAFIA:
(1) Bozzano, E. Comunicações Mediúnicas entre Vivos.
(2) Kardec, A. O Livro dos Médiuns, cap. XXV.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s