PONTOS ESSENCIAIS PARA OS CÔNJUGES

Pontos Essenciais para os Cônjugespaixões

 

 

 

 

André Luiz

 

Reconhecer que o outro é um espírito por si, com ideais e tendências diversas.

Em tempo algum abandonar o outro aos próprios deveres e lutas, sob o pretexto de que possui tarefas diferentes.

Socorrer o outro em suas esperanças, empenhando esforço e carinho para que as realize.

Afastar do outro quaisquer assuntos tendentes a turvar-lhe a confiança recíproca. Continuar lendo

Anúncios

Obsessão e Evangelho

Obsessão e Evangelholivro-com-arvore-1

Emmanuel

Reunião pública de 9/9/60

Questão nº 244

A quem diga que o Espiritismo cria obsessões na atualidade do mundo, respondamos com os próprios Evangelhos.

*

Nos versículos 33 a 35, do capitulo 4, no Evangelho de Lucas, assinalamos o homem que se achava no santuário, possuído por um Espírito infeliz, a gritar para Jesus, tão logo lhe marcou a presença: “que temos nós contigo?” E o Mestre, após repreendê-lo, conseguiu retirá-lo, restaurando o equilíbrio do companheiro que lhe sofria o assédio.

Temos aí a obsessão direta. Continuar lendo

CASAMENTO E DIVÓRCIO

Casamento e Divórcioconjuge

 

 

 

André Luiz

 

Divórcio, edificação adiada, resto a pagar no balanço do espírito devedor. Isso geralmente porque um dos cônjuges, sócio na firma do casamento, veio a esquecer que os direitos na instituição doméstica somam deveres iguais.

A Doutrina Espírita elucida claramente o problema do lar, definindo responsabilidades e entremostrando os remanescentes do trabalho a fazer, segundo os compromissos anteriores em que marido e mulher assinaram contrato de serviço, antes da reencarnação. Continuar lendo

Dinheiro e Atitude – psicografia de Chico Xavier

OBSESSÃO

OBSESSÃO7928f-bezerra2bde2bmenezes

 

Bezerra de Menezes

Filhos, não olvideis que os vossos afetos invisíveis do pretérito procuram interferir negativamente em vossos justos anseios espirituais do presente.

De todas as formas, eles buscarão se insinuar em vossos caminhos, impedindo a vossa desvinculação mental com o passado.

Pela afinidade natural que convosco estabeleceram em experiências pregressas, lograrão fácil acesso ao vosso psiquismo, articulando aos vossos ouvidos inaudíveis palavras de desalento. Continuar lendo

A Prece nas Reuniões Espíritas

A Prece nas Reuniões Espíritaspree de natal.jpg

Allan Kardec nos ensina:

“É, sem dúvida, não apenas útil, porém necessário rogar, através de uma invocação especial, por uma espécie de prece, o concurso dos bons Espíritos. Essa prática predispõe ao recolhimento, condição especial a toda a reunião séria” (“Viagem Espírita em 1862”, cap. XI, pág. 144).

No início e no término das reuniões espíritas fazemos a prece para que o ambiente espiritual seja favorável e tenhamos a presença de Espíritos elevados, que a prece atrai, o que será uma garantia de proteção contra o mal. No decurso da sessão mediúnica, a oração será utilizada em benefício dos companheiros e dos Espíritos, pelo potencial de forças fluídicas que a prece consegue aglutinar.

A prece, contudo, será sempre mais poderosa se partir de uma alma elevada, de um Espírito de conduta ilibada, de uma criatura de bons sentimentos. Há pessoas que, por haverem conseguido libertar-se das paixões animalizantes e dos interesses egoísticos da Terra, fazem de sua vida uma prece permanente. A prece nelas é cultivada com naturalidade e eficiência extraordinária, enquanto que nós temos ainda que nos esforçar para que nossa rogativa atinja o objetivo colimado. Continuar lendo

No Solo do Espírito – psicografia de Chico Xavier